JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Eu Legislador

Outras Leis do
Eu Legislador

Saída temporária
Lei Complementar

IDADE MÍNIMA PARA O TRABALHO
Emenda Constitucional

crianca na rua
Lei Complementar

Fomento à Atividade Empresarial em Águas de S. Pedro
Lei Ordinária

Redução de IPTU
Lei Complementar

Veja mais ...

Proteção à avifauna brasileira.

A presente proposição visa regulamentar o uso de vidros em fachadas de edificações de modo a proteger a avifauna brasileira.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Proposta de Lei

 
Dispõe sobre a utilização correta de vidros nas faces externas das edificações de modo a não ameaçar a avifauna brasileira.
 
Art. 1º - Esta lei torna obrigatória a observância de critérios para a utilização de vidros transparentes ou espelhados nas edificações realizadas em todo o território nacional.

Parágrafo único - Para os efeitos desta lei são considerados:

I - vidros transparentes, aqueles através dos quais se vê além, ainda que apresentem cor em sua composição.

II - vidros espelhados, aqueles que refletem o ambiente externo.

Art. 2º - As áreas envidraçadas de edificações devem apresentar-se de forma a evitar o choque de aves contra os vidros, de acordo com os seguintes métodos:

I - fixação de adesivos impressos com a silhueta de predadores da própria unidade de conservação;

II - uso de obstruções visuais, tais como plantas, cortinas, persianas, móveis, etc. que impeçam a devassidão do espaço limitado pelas lâminas de vidro.

§ 1º - consideram-se como áreas envidraçadas os fechamentos de varandas, guarda-corpos, portas, janelas, fachadas ou qualquer face externa de edificações que se apresentar sob a forma dos vidros especificados no artigo 1º desta lei.

§ 2º - cada módulo de área envidraçada igual ou maior que 3m2 (três metros quadrados) deve conter um dos tipos de proteção a que se refere o caput deste artigo.

Art. 3º - Compete ao Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA, constituído por órgãos e entidades da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, responsáveis pela proteção e melhora da qualidade ambiental, o controle e a fiscalização das edificações, de modo a fazer cumprir esta Lei.

Art. 4º - As pessoas físicas ou jurídicas, de direito público e privado, que utilizem vidros transparentes ou espelhados em suas edificações, terão o prazo de 90 (noventa) dias, a partir da publicação desta lei, para se ajustarem à norma.

Art. 5º - O não cumprimento às disposições da presente lei sujeitará o infrator ao pagamento de multa arbitrada em valor correspondente a 100 UFIR (cem unidades fiscais de referência) por módulo em desajuste.

Parágrafo único - Os recursos provenientes do pagamento de multas serão revertidos ao Fundo Nacional do Meio Ambiente, criado pela lei nº 7.797, de 10 de Julho de 1989.

Art. 6º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.



Justificação / Exposição de Motivos

 
As aves são um bem da natureza de fundamental importância para o meio ambiente rural e urbano: auxiliam na reprodução das plantas, distribuindo as sementes e polinizando as flores; participam do controle de pragas que invadem cidades e plantações; são referência da qualidade do meio em que vivem e, ainda, propiciam um mágico espetáculo de beleza, sons e movimento de asas aos que se permitem admirar tamanho esplendor.

No entanto, a exploração desordenada do território brasileiro, através do desmatamento, da degradação do ambiente natural pelo constante progresso das cidades, da captura e venda ilegal de animais, dentre outras formas, vem causando a efetiva extinção de nossas espécies.

É o impacto ambiental negativo, representando uma séria ameaça à avifauna pátria.

Os danos causados ao meio ambiente, pela introdução brusca, repetida ou contínua de elementos que o modificam, podem ser evitados, muitas vezes, por meio de simples medidas, tais como a presente proposição.

Além de seu caráter de conscientização ambiental, a norma proposta tem também função informativa à população que desconhece as "armadilhas involuntárias" montadas em detrimento da natureza, cujas conseqüências são irreversíveis.

Animais em vida livre podem ser poupados da extinção ou desequilíbrio, pelo uso racional de métodos eficazes e facilmente empregados, que integram o homem ao meio em que vive, complementando-o e, não, destruindo suas riquezas.

A proteção e conservação do patrimônio natural brasileiro pode e deve ser feita pelo poder público, em conjunto com a sociedade.

Segundo o Art. 225 da Constituição Federal, incumbe ao Poder público:

"VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade".

Diante de todos esses argumentos, conclui-se que a presente proposta de Projeto de Lei, nestes termos, merece ser examinada e apoiada pelo Poder Legislativo, com a sua conseqüente aprovação.
Importante:
1 - Todas as propostas de lei podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Comentários e Opiniões

1) Arthur (01/10/2011 às 08:05:20) IP: 189.14.17.197
Muito pertinente a proposta. Trabalho em um banco cujo prédio é térreo e, ainda assim, é muito comum o choque de aves contra as janelas do fundo da agência. Esta semana ficamos muito tristes com a morte de um belíssimo Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus) que se chocou com o vidro, mas as vítimas mais frequentes são as Pombas da espécie (Columba livia).
2) Ana (28/04/2013 às 10:51:55) IP: 189.31.35.240
eu sou uma ambientalista apaixonadissima pela fauna e flora
as leis sao muito bonitinhas e claras mas na pratica so sao muito palavras ... nao feito muito precisaria de um insentivo maior palestras nas escolas insentivo na criaçao de aminais com acompanhamento das autoridades eu seria um dos voluntarios com certeza
3) Fabio (16/08/2013 às 14:37:33) IP: 201.52.202.232
Ótimo projeto.
4) Raphael (27/06/2016 às 08:38:54) IP: 179.191.87.98
Eu como Arquiteto e Urbanista, apoio a iniciativa. Não há como se fazer boa arquitetura em detrimento da mortalidade de espécies passeriformes da fauna silvestre por uso (insano e desaconselhável, repudiado pelo CAU e IAB) de vidros espelhados em fachadas. Lembrando que o assunto já foi discutido devido a edificações administrativas pertencentes à galpões logísticos já terem sido objeto de acidentes por ofuscamento a motoristas.


Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados