JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Fale Conosco
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Eu Legislador

Lei Touro Sentado

Proposta de Lei

 
Proponho que seja feita uma lei renovando a ja existente pois não atende o teor da lqual origenou sua licitação ou seja:
 
Uma Lei que determine que os passageiros de veiculos automotores não comprem passagem dos passageiros em pé,uma vez que a empresa quando venceu a licitação se propoz a oferecer quantos numros de assentos fossem nencessários par aquela determinada linha. Porem resalva em Paragrafo Unico que se houver lugares e o passageiros estiver em pé ao mesmo não é facultado o direito de insenção.



Justificação / Exposição de Motivos

 
Cabe ainda resaltar ou mesmoperguntar aos mais altos doutrinadores, o porque eu não posso viajar sem cinto de segurança, incidindo em multa e pontos na carteira e no obinus coletivo eu ando o ano inteiro pendurado na porta e ninguem se importou com a minha vida, segurança, conforto e transporte é o que uma passagem de onibus oferçe, não é?
Ari Grecco estudante d Direito FADIPA -Jundiaí
Importante:
1 - Todas as propostas de lei podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Comentários e Opiniões

1) Pingente Pedante (28/11/2009 às 18:27:58) IP: 187.25.72.218
A histeria de segurança não se aplica ao trabalhador que chacoalha no transporte público. Ninguém é inocente de acreditar que os safados dos órgãos de transito não estão interessados em outra coisa senão o lucro com as multas. Ações efetivas de segurança poderiam ser implementadas por uma fração do custo com o que se gasta com IPVA e outras extorções. A via em condições de uso também está ligada a segurança e mesmo assim crateras criminosas persistem gerações a fio como um monumento ao descaso.
2) Gado Urbano (21/12/2009 às 21:13:00) IP: 201.40.169.145
Concordo em número, gênero e grau contigo. Devemos apelar, também, para o direito do consumidor que certamente está sendo lesado ao comprar uma passagem e ter de ficar muitas vezes mais de uma hora em pé ao sabor da lei da inércia.
3) Geraldo (27/06/2010 às 19:47:45) IP: 189.12.190.5
Enquanto não houver um dirigente governante deste país , íntegro e preocupado com seu semelhante ( não so sua familha) o público tera que pagar caro, então deveriamos anular os votos ate o TRE coloca alguem que não tenha nenhum crime politico e fazer algo, que nunca foi feito, leis que ajudem o trabalhador. e não a corruptos que se elegem e viran as costas pra nós, pagadores de impostos sem retorno
4) Gerson (26/11/2010 às 16:41:01) IP: 189.29.216.225
Perfeito, apoio tanto o conteúdo como o nome da lei.
5) Flavio (22/09/2011 às 19:03:04) IP: 189.111.6.87
Considerando os erros de ortografia, bem como a péssima sintaxe do texto, dever ser piada que o proponente seja estudante de Direito. Mas o objetivo da proposta é valido.
6) Joice (27/10/2011 às 13:24:28) IP: 187.14.228.55
Com tantos motivos para nos preocuparmos, ainda há quem se preocupe com a ortografia alheia. Se a crítica ao menos fosse construtiva, mas o nobre colega preocupou-se somente em pejorar o modo como escreve o proponente.
Infelizmente Flávio, sua capacidade de respeitar o próximo é deveras limitada. Ainda não teve aulas de Sociologia Júridica? Quando tiver, vai aprender lições valorosas de amor e respeito ao próximo. Vai ser muito bom pra você!
7) Joice (27/10/2011 às 13:29:27) IP: 187.14.228.55
Quanto ao proponente, Ari, é muito bom ver que ainda há pessoas que se preocupam em fazer algo que realmente precisamos. Sua proposta deveria ser alvo de elogios, bem como deveria ser aproveitada para que realmente alguma coisa nesse país saísse do papel.


Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados