JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Eventos
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Eu Juiz

Entenda

O que é 'Eu Juiz'?

Eu Juiz é um espaço onde qualquer pessoa pode analisar uma situação real e dar seu voto sobre qual deveria ser a sentença do juiz, podendo justificar sua resposta e ver as respostas das outras pessoas.

Ao final, é dada uma orientação sobre a solução mais aceita de acordo com a legislação vigente.

Ver outros casos

Mulher morre durante uma cirurgia plástica e marido pleiteia indenização por danos morais e materiais.

Argumentos do Autor na Petição Inicial:

Da petição inicial e os argumentos do senhor Pedro José, como AUTOR:

O autor, depois de demonstrar com documentos e relatar a situação profissional e familiar da mulher e sua condição de marido da falecida, inclusive informando a importância dos rendimentos com os quais ela contribuía para o orçamento familiar, registrou na petição inicial os seguintes argumentos de fato e de direito:

Que a falecida vivia preocupada com o estigma da doença sofrida e que somente depois de conversar várias vezes com o seu médico é que resolveu se submeter à cirurgia destinada a reconstituir e adequar esteticamente o seio atingido pelo tumor, compatibilizando-o com o outro, que não havia sofrido qualquer seqüela;

que, até então, ela não possuía qualquer resistência a medicamentos e muito menos a anestésicos, tanto que se submeteu à cirurgia que extirpou o câncer e, á época, não sofreu qualquer tipo de reação danosa;

que a perícia do instituto médico legal foi enfática ao admitir que a causa do evento fatal se deu pela reação do medicamento anestésico utilizado pelos médicos imediatamente antes e durante a cirurgia;

que o seu falecimento decorreu da imprudência dos médicos que administraram um medicamento de risco, sem testar, com antecedência, se a paciente era ou não capaz de absorver seus efeitos colaterais;

que os médicos também agiram com imperícia, tanto que, embora tivessem à sua disposição na UTI do hospital todos os recursos possíveis, não conseguiram fazer com que a paciente absorvesse o choque anestésico.

Então, a final requereu que o juiz arbitrasse uma indenização a título de danos morais, sugerida em um milhão de reais, e outra indenização por dano material, em forma de pensão mensal vitalícia em seu favor, no valor igual ao que a engenheira percebia mensalmente na empresa que trabalhava, devidamente corrigida anualmente, e incidente desde a data do seu falecimento.


Próximo Passo:

Argumentos do Réu (Contestação)


Rever:

Descrição do Caso

Importante:
1 - Todo o conteúdo pode ser citado na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
Copyright (c) 2006-2021. JurisWay - Todos os direitos reservados