JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Ortografia Oficial 2016 com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Dicas para Provas e Concursos
Autoria:

Marcio Santos
Advogado atuante desde 2010 na Comarca de Diamantina/MG. Graduado pela FCJ/UEMG-Unidade Diamantina. Pós graduado em Administração Pública Municipal pela UFVJM. Com escritório de Advocacia e Consultoria Jurídica situado a Rua das Monteiras, 91A Largo do João, Diamantina/MG - CEP 39.100-000 - Fone/WhatsApp 38 3531 3677

Endereço: Rua das Monteiras, 91A
Bairro: Largo Dom João

Diamantina - MG
39100-000


envie um e-mail para este autor
Dicas de Concursos Técnicas de Estudo

Você Nunca Passará na OAB

E você? Quer provar o contrário do que o título deste texto afirma? Ficarei muito grato ao receber em breve o seu comentário dizendo que eu estava enganado. Mas para tanto acredito piamente que você deve se mexer, se posicionar de forma consistente.

Texto enviado ao JurisWay em 07/06/2019.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Qual estudante de Direito que nunca foi questionado sobre qual o objetivo da escolha de sua graduação?

Lembro-me como se fosse hoje, após se apresentar, o professor fez três perguntas a cada calouro daquela grande turma. Quem é você? Porque você escolheu este curso? Qual o seu objetivo ao se graduar em direito? Foram diversas as respostas, mas uma delas me chamou muito a atenção.

Adivinha a de quem? A minha! Quando percebi que eu deveria ter uma resposta bem definida sobre estas questões e que nem a escolha do curso foi diretamente minha, como poderia responder qual o meu objetivo ao graduar em direito? Na espera de chegar a minha vez, quase até esqueci quem eu era (na verdade com o tempo se aprende que esta resposta se constrói durante a vida toda).

Não dá mais tempo pra pensar, chegou a minha vez. Disse o meu nome, falei que era funcionário daquela Faculdade e que fazer o curso era questão de aproveitar a oportunidade, pois na condição de funcionário eu ganhava uma bolsa de 100% da mensalidade do curso. Como não tinha nenhuma experiência com advocacia, respondi a última pergunta como a maioria da sala estava respondendo. Vou graduar para prestar concurso público.

Passaram-se os períodos letivos e muitas novidades aprendidas, mas outra pergunta surgiu e com muita frequência. E agora não era somente o professor, mas também os colegas, os parentes e até pessoas desconhecidas: Você vai "tirar" a carteira da OAB? Percebi que responder esta pergunta também era minha obrigação. Lembro-me de um episódio marcante, e que hoje sei que, foi necessário para que hoje eu pudesse contar para você a minha experiência.

Era mais um dia de aula no Núcleo de Prática Jurídica eu tinha feito uma peça para protocolar naquele dia. Ao apresentá-la à professora para as últimas correções e assinatura, ouvi a seguinte afirmação: DESTE JEITO VOCÊ NUNCA PASSARÁ NA OAB. Fiquei surpreso e sem reação, mas ignorei naquele momento, pois passar na OAB era irrelevante para mim, afinal de contas não iria advogar mesmo!

Fiz as correções necessárias na peça e entreguei, mas percebi que para aquela afirmação eu deveria dar uma resposta, a tia "mexeu com quem estava quieto". Contei o ocorrido para alguns colegas mais chegados. Alguns deles até me falaram que deveria reclamar a forma como foi criticado. O dia custou passar e aquela frase alfinetava a minha mente. Pensava: Para uma professora falar assim com um aluno ela tem que ter realmente razão.

Então decidi: Por mais que não pretendo advogar, a melhor resposta darei a mim mesmo. A Partir daquele dia comecei pesquisar e observar casos de pessoas que passaram na OAB, como eles estudaram, quais as questões mais cobradas, como escolher a área da segunda fase, etc.

Eu percebi um padrão adotado pela maioria deles e que este padrão não estava relacionado primariamente com a quantidade de estudo de todo o conteúdo, mas sim com a qualidade de organização do estudo. Eles tinham um critério de estudo baseado em algumas premissas.

Uma delas era priorizar o estudo a partir do número de questões cobradas em cada área. A outra premissa era o tamanho do conteúdo de cada área relacionado com os números de questões cobradas pela banca examinadora.

Outro dado importante era escalonar as matérias pelo grau de domínio do conteúdo. Também percebi a necessidade de ter um cronograma bem definido para o estudo de modo a estudar de forma eficiente os conteúdos mais relevantes para a prova.

Quando estava realmente decidido a estudar para a OAB, tive também que organizar o meu tempo, pois a minha rotina diária de trabalho, dedicação a família e outros compromissos importantes do dia a dia já consumia completamente o meu tempo.

Escolhi um horário que não era muito, mas que conseguia cumprir todo dia, sem nenhuma ou com a mínima interrupção possível. Teve dia que realmente o desânimo quis dominar, mas eu tinha uma motivação que não me deixava parar... rsrsrs.

E quanto mais se aproximava do exame da Ordem outras motivações se tornavam mais fortes. Eu sempre dizia a minha esposa, vou dar o máximo de mim e o meu melhor, pois não quero ter que novamente dedicar tempo, esforço e dinheiro para isto.

O Final da minha história você já imagina, mas uma coisa muito interessante e inesperada também aconteceu. Ao ser aprovado no Exame da Ordem naquela primeira e única tentativa, aquele sentimento fomentado pela crítica, que me desafiou a provar o contrário do que o título deste texto sugere, foi transformado em pura gratidão, pois realmente entendi que se a minha professora não mexesse comigo que "estava quieto", é bem provável que eu não estaria hoje exercendo a advocacia como minha profissão.

E você? Quer provar o contrário do que o título deste texto afirma? Ficarei muito grato ao receber em breve o seu comentário dizendo que eu estava enganado. Mas para tanto acredito piamente que você deve se mexer, se posicionar de forma consistente.

Se você ainda não tem um cronograma de estudo bem definido deixo no final duas dicas de material completo de planejamento de estudo para o Exame de Ordem da OAB que contém, cronograma de 30 dia ou 90 dias de estudo para OAB. Quer saber mais? Clique aqui. 30 dias ou 90 dias.

Espero que este meu relato e as dicas aqui apresentadas possa te ajudar de alguma forma. Sugiro fortemente que tenha foco em seu propósito e os materiais certos para que tenha um estudo eficiente que te possibilite ótimos resultados.

Um forte abraço !!!

Se quiser saber mais sobre os cronogramas de estudo clique abaixo.

Cronograma de 30 dias

Cronograma de 90 dias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br, e a autoria (Marcio Santos).
2 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, idéias e conceitos de seus autores.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Nenhum comentário cadastrado.



Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 

Institucional

O que é JurisWay
Por que JurisWay?
Nossos Colaboradores
Profissionais Classificados
Responsabilidade Social no Brasil



Publicidade

Anuncie Conosco



Entre em Contato

Dúvidas, Críticas e Sugestões



Seções

Cursos Online Gratuitos
Vídeos Selecionados
Provas da OAB
Provas de Concursos
Provas do ENEM
Dicas para Provas e Concursos
Modelos de Documentos
Modelos Comentados
Perguntas e Respostas
Sala dos Doutrinadores
Artigos de Motivação
Notícias dos Tribunais
Notícias de Concursos
JurisClipping
Eu Legislador
Eu Juiz
É Bom Saber
Vocabulário Jurídico
Sala de Imprensa
Defesa do Consumidor
Reflexos Jurídicos
Tribunais
Legislação
Jurisprudência
Sentenças
Súmulas
Direito em Quadrinhos
Indicação de Filmes
Curiosidades da Internet
Documentos Históricos
Fórum
English JurisWay



Áreas Jurídicas

Introdução ao Estudo do Direito
Direito Civil
Direito Penal
Direito Empresarial
Direito de Família
Direito Individual do Trabalho
Direito Coletivo do Trabalho
Direito Processual Civil
Direito Processual do Trabalho
Condomínio
Direito Administrativo
Direito Ambiental
Direito do Consumidor
Direito Imobiliário
Direito Previdenciário
Direito Tributário
Locação
Propriedade Intelectual
Responsabilidade Civil
Direito de Trânsito
Direito das Sucessões
Direito Eleitoral
Licitações e Contratos Administrativos
Direito Constitucional
Direito Contratual
Direito Internacional Público
Teoria Econômica do Litígio
Outros



Áreas de Apoio

Desenvolvimento Pessoal
Desenvolvimento Profissional
Língua Portuguesa
Inglês Básico
Inglês Instrumental
Filosofia
Relações com a Imprensa
Técnicas de Estudo


Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados