JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Notícias Jurídicas

Últimas notícias

Procon-MG promove evento Procon-MG fala com Você - Precificação
Eventos - (01/08/2019)

Procon-MG promove 22º Encontro sobre Consumo e Regulação - Boas Práticas na Revenda de Produtos Cárneos
Eventos - (24/04/2019)

Procon-MG promove 7ª Edição do Momento educAtivo com o tema "O que o consumidor deve saber na hora de contratar um empréstimo?"
Eventos - (25/03/2019)

Procon-MG promove 21º Encontro sobre Consumo e Regulação - Proteção de Dados Pessoais e Defesa do Consumidor
Eventos - (20/03/2019)

Procon-MG promove evento no Dia Mundial de Defesa do Consumidor
Eventos - (07/03/2019)

Procon-MG promove Encontro sobre Capacitação em Publicidade de Alimentos e Direitos do Consumidor
Eventos - (25/11/2018)

Procon-MG promove evento sobre boas práticas de preparo e venda de alimentos ao consumidor
Eventos - (15/11/2018)

Procon-MG promove 6ª Edição do Momento educAtivo, dessa vez com o tema "A liberdade de escolha do consumidor sob a perspectiva comportamental"
Eventos - (02/10/2018)

Mais notícias do dia...

Funcionária da Avon que adquiriu doença profissional vai receber R$ 30 mil de indenização

TRT - 7ª Região - CE - 21/02/2013

Perguntas e Respostas JurisWay
Ferramentas Facebook:
Envie para um amigo:


Ou compartilhe com todos:

Por unanimidade, a Terceira Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE) condenou a empresa de cosméticos Avon a indenizar em R$ 30 mil uma trabalhadora que adquiriu doença profissional por esforço repetitivo. A decisão, publicada no Diário Eletrônico da Justiça do Trabalho de 19 de fevereiro, confirma sentença da 1ª vara do trabalho de Maracanaú.

A ajudante de produção trabalhava colando rótulos em caixas que passavam em uma esteira, uma média de 80 caixas por minuto, segundo declarou testemunha. Para a juíza Regiane Carvalho, a manutenção da empregada em atividade extremamente repetitiva, que lhe exigia grande esforço físico, configura conduta desumana. As más condições ergonômicas podem ser consideradas como causas diretas do surgimento da lesão, afirmou a magistrada.

Em sua defesa, a empresa alegava que cumpria todas as normas de segurança do trabalho e que quando a empregada foi demitida não apresentava nenhuma doença profissional. No entanto, o laudo pericial foi taxativo: a empregada desenvolveu as doenças bursite e tendinopatia no ombro esquerdo, ambas relacionadas à atividade profissional que exercia na empresa.

Na avaliação do relator do processo, desembargador Jefferson Quesado Júnior, ficou evidenciada a conexão entre as doenças que acometeram a empregada e o trabalho desenvolvido por ela na Avon. É dever do empregador zelar pela incolumidade física de seus trabalhadores, atentando para as condições de ergonomia e ambientais do trabalho, sob pena de assumir os danos causados àqueles que lhe prestam serviços, concluiu.

Processo relacionado: 0002374-24.2010.5.07.0032

Voltar para notícias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados