JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Benefícios Previdenciários com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Notícias Jurídicas

Últimas notícias

Procon-MG realiza 4ª edição do Momento EducAtivo, evento gratuito para discutir a educação financeira na infância
Eventos - (01/11/2017)

Primeira Câmara ratifica demissão por justa causa aplicada a trabalhador acusado de furto
TRT - 15ª Região - SP (Campinas) - (30/10/2017)

Empresa é responsável por trabalhador que transporta valores
TRT - 13ª Região - PB - (30/10/2017)

Uso de celular funcional não caracteriza por si só tempo à disposição da empresa
TRT - 10ª Região - DF - (30/10/2017)

Mudança de atividade não caracteriza desvio de função
TRT - 1ª Região - RJ - (30/10/2017)

Multinacional condenada por danos morais em R$ 100 mil por comunicação errada e tardia de acidente de trabalho
TRT - 2ª Região - SP - (30/10/2017)

JT-MG nega vínculo de emprego entre pedreiro e dono da obra de reforma em sítio
TRT - 3ª Região - MG - (30/10/2017)

Mulher condenada por tentar receber seguro em duplicidade após acidente de automóvel
TJ-SC - (30/10/2017)

Mais notícias do dia...

Comissão autoriza vigilante a comprar arma para uso particular

Câmara dos Deputados - 25/08/2009

Perguntas e Respostas JurisWay
Ferramentas Facebook:
Envie para um amigo:


Ou compartilhe com todos:

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou, no último dia 19, o Projeto de Lei 4340/08, do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que isenta os vigilantes que comprarem arma para uso particular do pagamento da taxa de porte.

Atualmente, de acordo com o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), as armas não podem ser compradas pelos vigilantes para esse uso. O estatuto estabelece que as armas utilizadas por esses profissionais são de propriedade, responsabilidade e guarda das empresas onde trabalham.

A isenção prevista no projeto vale para os vigilantes das empresas de segurança privada e de transporte de valores que comprovarem que já utilizam arma de fogo em serviço.

Capacitação e insegurança
O relator da matéria na comissão, deputado Guilherme Campos (DEM-SP), recomendou a aprovação. Para ele, não faz sentido liberar o porte de arma fora do horário de serviço para os guardas municipais e não permitir que os vigilantes privados fiquem isentos da taxa de porte de arma de fogo de uso particular. Eles são capacitados para o manuseio das armas, mas voltam para casa desamparados pela legislação em vigor, ressaltou o deputado.

O estatuto, em sua redação atual, isenta do pagamento da taxa os integrantes das Forças Armadas, das polícias e dos corpos de bombeiros militares, entre outras categorias.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo  e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:
PL 4340/2008

Reportagem - Oscar Telles/SR

Agência Câmara


Voltar para notícias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.
 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados