JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Notícias Jurídicas

Últimas notícias

Procon-MG promove evento Procon-MG fala com Você - Precificação
Eventos - (01/08/2019)

Procon-MG promove 22º Encontro sobre Consumo e Regulação - Boas Práticas na Revenda de Produtos Cárneos
Eventos - (24/04/2019)

Procon-MG promove 7ª Edição do Momento educAtivo com o tema "O que o consumidor deve saber na hora de contratar um empréstimo?"
Eventos - (25/03/2019)

Procon-MG promove 21º Encontro sobre Consumo e Regulação - Proteção de Dados Pessoais e Defesa do Consumidor
Eventos - (20/03/2019)

Procon-MG promove evento no Dia Mundial de Defesa do Consumidor
Eventos - (07/03/2019)

Procon-MG promove Encontro sobre Capacitação em Publicidade de Alimentos e Direitos do Consumidor
Eventos - (25/11/2018)

Procon-MG promove evento sobre boas práticas de preparo e venda de alimentos ao consumidor
Eventos - (15/11/2018)

Procon-MG promove 6ª Edição do Momento educAtivo, dessa vez com o tema "A liberdade de escolha do consumidor sob a perspectiva comportamental"
Eventos - (02/10/2018)

Mais notícias do dia...

Casal recebe indenização por laqueadura de trompas ineficaz

Perguntas e Respostas JurisWay
Ferramentas Facebook:
Envie para um amigo:


Ou compartilhe com todos:

O objetivo de fazer uma laqueadura de trompas é evitar que a mulher tenha uma nova gravidez. Mas não foi isso que aconteceu com S.S.S.A., que fez a cirurgia em um hospital público em Belo Horizonte e para surpresa dela e de seu marido, ficou grávida pela terceira vez. Assim, os integrantes da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais entenderam que o Estado de Minas Gerais deve indenizar o casal em R$ 19 mil pelo serviço mal feito.

Segundo os autos, S.S.S.A e seu marido C.J.A., então pais de duas filhos, procuraram um hospital público para fazer a cirurgia de ligação das trompas, uma vez que não condições financeiras de ter outro filho, por isso procurou o hospital para fazer a cirurgia. Com a gravidez, o casal argumentou que passaram por todas as angústias e preocupações decorrentes da ineficácia do ato cirúrgico.

Já o Estado alegou que o casal não comprovou a culpa do médico do Estado, não se verificando o nexo de causalidade entre o procedimento cirúrgico e o suposto dano. No entanto, o desembargador Silas Vieira, relator do processo, entendeu que os elementos apresentados no processo comprovam a relação entre o evento danoso suportado pelos autores e a conduta do médico servidor do Estado.

De acordo com o magistrado, diante de tais fatos, considerando as provas existentes nos autos, nota-se que a cirurgia de laqueadura de trompas realizada junto ao hospital do Estado foi ineficaz, não cumprindo o seu objetivo precípuo, qual seja, impedir uma gravidez, o que torna o Estado responsável pelos danos causados aos autores.

Com relação ao valor da indenização, o desembargador Silas Vieira a fixou em R$ 19 mil, avaliando que esta quantia atende à gravidade do dano, atingindo sua finalidade pedagógica-punitiva. Já os danos materiais, que não foram detalhadas, serão apurados em liquidação de sentença. Os desembargadores Edgard Penna Amorim e Roney Oliveira acompanharam o voto do relator.

Assessoria de Comunicação Institucional
TJMG - Unidade Goiás (31) 3237-6551
Número do processo: 1.0024.03.168623-1/001


Voltar para notícias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados