JurisWay - Sistema Educacional Online
 
É online e gratuito, não perca tempo!
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Notícias Jurídicas

Últimas notícias

Procon-MG promove evento Procon-MG fala com Você - Precificação
Eventos - (01/08/2019)

Procon-MG promove 22º Encontro sobre Consumo e Regulação - Boas Práticas na Revenda de Produtos Cárneos
Eventos - (24/04/2019)

Procon-MG promove 7ª Edição do Momento educAtivo com o tema "O que o consumidor deve saber na hora de contratar um empréstimo?"
Eventos - (25/03/2019)

Procon-MG promove 21º Encontro sobre Consumo e Regulação - Proteção de Dados Pessoais e Defesa do Consumidor
Eventos - (20/03/2019)

Procon-MG promove evento no Dia Mundial de Defesa do Consumidor
Eventos - (07/03/2019)

Procon-MG promove Encontro sobre Capacitação em Publicidade de Alimentos e Direitos do Consumidor
Eventos - (25/11/2018)

Procon-MG promove evento sobre boas práticas de preparo e venda de alimentos ao consumidor
Eventos - (15/11/2018)

Procon-MG promove 6ª Edição do Momento educAtivo, dessa vez com o tema "A liberdade de escolha do consumidor sob a perspectiva comportamental"
Eventos - (02/10/2018)

Mais notícias do dia...

Acusada de latrocínio é mantida em prisão por questão de ordem social

Perguntas e Respostas JurisWay
Ferramentas Facebook:
Envie para um amigo:


Ou compartilhe com todos:

A prisão cautelar justificada na garantia da ordem pública visa a prevenir a reprodução de fatos criminosos e acautelar o meio social, retirando do convívio da comunidade aquele que demonstra ser dotado de periculosidade. Com essa justificativa, a Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve a prisão preventiva decretada em desfavor de uma acusada de cometer crime de latrocínio no município de Barra do Garças (509 km ao leste de Cuiabá). A acusada seria a mentora e partícipe do crime, do qual mais três pessoas, seus dois irmãos e ex-namorado, também teriam participação (Habeas Corpus nº 84670/2008).         De acordo com os autos, em dezembro de 2007 a paciente foi detida em razão de prisão temporária, posteriormente convertida em preventiva, devido à prática, em tese, do crime de latrocínio. A defesa acrescentou que fora requerida a revogação da prisão preventiva, indeferida pelo Juízo com base na garantia da ordem pública, destacando que não se fazem presentes os requisitos que autorizam a manutenção da segregação cautelar. Para a defesa, não são elementos hábeis os indícios de autoria do crime, a gravidade genérica do delito, a comoção social e o clamor público para manter a prisão. Informou, por fim, que é detentora de condições pessoais favoráveis e requereu a concessão da ordem para que a paciente seja colocada em liberdade.         Entretanto, no entendimento do relator do pedido, juiz substituto de Segundo Grau Círio Miotto, o fato de a paciente ser detentora de condições pessoais favoráveis, tais como residência fixa, trabalho lícito e família constituída, não obsta, por si só, a manutenção da segregação cautelar quando há nos autos outros elementos que recomendem sua prisão.         O magistrado destacou que a manutenção da prisão se deve em razão da periculosidade da paciente e da gravidade da forma adotada para a prática do delito. Na compreensão do relator, a paciente teria, em tese, patrocinado o levantamento da rotina da residência da vítima, dando aos demais envolvidos estadia em sua residência e levando-os juntamente com seu ex-namorado ao cenário do crime.         Também participaram da votação e acompanharam o voto do relator em consonância com o parecer os desembargadores José Jurandir de Lima (1º vogal) e José Luiz de Carvalho (2º vogal).

Voltar para notícias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados