JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Servidor Público na Lei 8.112 com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Notícias Jurídicas

Últimas notícias

Procon-MG promove evento Procon-MG fala com Você - Lei de Meia-entrada
Eventos - (14/05/2019)

Procon-MG promove 22º Encontro sobre Consumo e Regulação - Boas Práticas na Revenda de Produtos Cárneos
Eventos - (24/04/2019)

Procon-MG promove 7ª Edição do Momento educAtivo com o tema "O que o consumidor deve saber na hora de contratar um empréstimo?"
Eventos - (25/03/2019)

Procon-MG promove 21º Encontro sobre Consumo e Regulação - Proteção de Dados Pessoais e Defesa do Consumidor
Eventos - (20/03/2019)

Procon-MG promove evento no Dia Mundial de Defesa do Consumidor
Eventos - (07/03/2019)

Procon-MG promove Encontro sobre Capacitação em Publicidade de Alimentos e Direitos do Consumidor
Eventos - (25/11/2018)

Procon-MG promove evento sobre boas práticas de preparo e venda de alimentos ao consumidor
Eventos - (15/11/2018)

Procon-MG promove 6ª Edição do Momento educAtivo, dessa vez com o tema "A liberdade de escolha do consumidor sob a perspectiva comportamental"
Eventos - (02/10/2018)

Mais notícias do dia...

Réus são condenados por homicídio em Corumbá

Perguntas e Respostas JurisWay
Ferramentas Facebook:
Envie para um amigo:


Ou compartilhe com todos:

Em julgamentos distintos realizados no Tribunal do Júri de Corumbá, no mês de junho, os réus A.M.R e I. da S.A. foram condenados, pelo mesmo crime, respectivamente, a doze anos e seis meses e vinte e oito anos de reclusão em regime fechado. O réu A.M.R foi condenado como partícipe no crime, enquanto I. da S.A. foi condenado por homicídio qualificado, tendo como qualificadoras: vingança e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Consta na sentença de pronúncia, que os réus, no dia 11 de abril de 2005, por volta das 23h30, se dirigiram à residência da vítima A.M. de O. e, que o réu I. da S.A., mediante o emprego de arma de fogo, efetuou disparo contra a vítima, provocando-lhe ferimentos que deram causa à sua morte. O réu A.M.R. foi condenado como partícipe no homicídio, por estar junto ao autor do disparo no momento do ocorrido.

De acordo com os autos, os réus foram à casa da vítima com o objetivo de matar o irmão dela, com o qual tinham desavenças anteriores, referentes a dívidas deste com os denunciados, o que evidencia a torpeza da ação delituosa por eles praticada. Segundo depoimento das testemunhas do crime, os réus arrombaram a porta da casa da vítima e, sem qualquer tipo de conversa ou discussão, um deles a atingiu com o disparo, sem chance de defesa da ofendida.

O crime foi julgado perante o Tribunal do Júri pois, como forma de se respeitar o princípio constitucional do juízo natural disposto na Constituição Federal, é de competência do conselho de sentença popular julgar crimes dolosos contra a vida.

Autoria do Texto: Secretaria de Comunicação Social

Voltar para notícias

Importante:
1 - Todos os artigos podem ser citados na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.
 
Copyright (c) 2006-2019. JurisWay - Todos os direitos reservados