JurisWay - Sistema Educacional Online
 
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 

Habeas corpus em favor de adolescente


Autoria:

Paulo Henrique


____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

envie um e-mail para este autor

Outros artigos do mesmo autor

Requerimento de processos pagos pelo município
Outros

Outros artigos da mesma área

Medida de Segurança

VISITAS ÍNTIMAS PARA ADOLESCENTES INFRATORES: incongruências legislativas e ofensas à dignidade sexual.

A CONTRADIÇÃO EXISTENTE ENTRE A NATUREZA JURÍDICA DO ARTIGO 33 DA LEI 11.343/06 E ABENESSE INSTITUÍDA PELO PARAGRÁFO §4º DO REFERIDO ARTIGO

OS TORQUEMADAS DE HOJE E O DESRESPEITO À PROPORCIONALIDADE NO DIREITO PENAL ECONÔMICO

O Policial Militar executando o patrulhamento ostensivo ao praticar delito responderá pela pratica de crime considerado crime militar?

O QUE É O INQUÉRITO POLICIAL

MAUS TRATOS DE ANIMAIS E A TUTELA PENAL AMBIENTAL

O caso dos denunciantes invejosos* e polêmica entre direito, moral e justiça

O papel da perícia psicológica na execução penal

Criminalidade Organizada: Do Cangaço à Globalização

Mais artigos da área...

Resumo:

Petiçao simples com pedido Habas Corpus e liminar em favor de adolescente.

Texto enviado ao JurisWay em 16/07/2009.



Indique este texto a seus amigos indique esta página a um amigo



Quer disponibilizar seu artigo no JurisWay?

EG. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARA.
 
 
 
 
Habeas-Corpus
em favor de adolescente
com pedido de Liminar
 
"A injustiça, por ínfima que seja a criatura victimada, revolta-me, transmuda-me, incendeia-me, roubando-me a tranquilidade e a estima pela vida" (Rui Barbosa, Novos Discursos e Conferências, coligidos e revistos por Homero Pires, Livraria Acadêmica, Editora Saraiva, 1.933, prefacio, p. VII)
 
 
 
URGENTE
 
 
 
                          FULANO DE TAL, brasileiro, solteiro,advogado inscrito na OAB/UF sob o Número 000000,  vêm, com supedâneo no inciso LXVIII do art. 5º da Constituição da República Federativa do Brasil, e nos art. 108 e 183 da Lei n.º 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), impetrar HABEAS CORPUS em favor do adolescente FULANO DE TAL, o que faz pelas razões de fato e de direito que a seguir expõe:
 
                                   Ab initio roga pela aplicação dos benefícios do art. 198 do Estatuto da Criança e do Adolescente, requerendo a preferência de julgamento do presente recurso, assim como a dispensa de revisor.
 
                            O adolescente FULANO DE TAL, residente no Município Tal, foi provisoriamente internado, no Centro Educacional São Miguel, por força do art. 108 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no dia treze de junho de 2001, por ordem da Exmo. Juiz de Direito daquela Comarca.
 
                            No dia vinte e sete de julho do corrente ano, expirou o prazo da aludida internação provisória, vez que a Lei prevê, como limite máximo, o lapso temporal de 45 (quarenta e cinco) dias, antes de prolatada a sentença:
 
Lei n.º 8.069/90, Estatuto da Criança e do Adolescente.
Art. 108. A internação, antes da sentença, pode ser determinada pelo prazo máximo de quarenta e cinco dias.
 
                                   Ocorre que nesse mesmo dia o adolescente foi transferido para o Centro Educacional São Miguel, não tendo conquistado sua liberdade. O Juiz de Direito titular da Comarca foi comunicado do referido decurso de prazo, mas nenhuma providência tomou a fim de assegurar o status libertatis do paciente. Cumpre relatar ainda que, dentro da instrução processual, nenhuma audiência está marcada, situação flagrantemente violadora de direito do adolescente, na medida em que o procedimento já deveria ter sido concluído ao final dos quarenta e cinco dias da internação provisória, conforme preceitua claramente a Lei:
 
Lei n.º 8.069/90, Estatuto da Criança e do Adolescente
Art. 183. O prazo máximo e improrrogável para a conclusão do procedimento, estando o adolescente internado provisoriamente, será de quarenta e cinco dias.
 
                            Ora, desde o final do mês de julho o paciente deveria estar livre, quando expirou o prazo de sua internação provisória, não havendo fundamentação legal para restringir seu direito fundamental de ir e vir constitucionalmente assegurado.
 
                            No mesmo sentido vem julgando os Tribunais Brasileiros:
 
27016743 – HABEAS CORPUS – INTERNAÇÃO PROVISÓRIA – Esgotando o prazo de 45 dias para a conclusão do procedimento de apuração de ato infracional, sem qualquer justificativa, caracteriza-se o constrangimento ilegal na internação provisória do menor. Ordem concedida. Segredo de justiça. (TJRS – HC 599211489 – RS – 8ª C.Cív. – Rel. Des. José Ataides Siqueira Trindade – J. 13.05.1999)
 
2003666 – HABEAS CORPUS CONCEDIDO – EXCESSO DE PRAZO INJUSTIFICÁVEL – MENOR INTERNADO PROVISORIAMENTE CONTRA O PRAZO PREVISTO NO ART. 108 DO ECA – INSTRUÇÃO SEM DATA DESIGNADA – Se a internação provisória do menor já ultrapassa o prazo de 120 dias sem que, pelo menos, a data da instrução esteja designada, o excesso de prazo revela-se injustificável e, portanto, um constrangimento ilegal, sanável pelo habeas corpus. (TJMS – HC – Classe A – I – N. 61.600-2 – Dourados – 2ª T.Crim. – Rel. Juiz Marco Antônio Cândia – J. 21.10.1998)
 
13018210 – MENOR – Medida sócio-educativa – Excesso de prazo para o término do procedimento instaurado – Decretada internação provisória – Afronta ao artigo 183 da Lei nº 8.069/90 – Ocorrência de constrangimento ilegal – Magistrado que determinou a liberação do adolescente – Ordem prejudicada. (TJSP – HC 22.780-0 – Bauru – Rel. Des. Yussef Cahali – J. 23.06.1994)
 
                            Em face de todo o exposto, pede a concessão de HABEAS CORPUS, assim como sua respectiva ORDEM LIMINAR, a fim de que cesse o constrangimento ilegal sofrido pelo adolescente, expedindo o conseqüente alvará de soltura, a fim de que o paciente seja posto imediatamente em liberdade. Requere ainda que a presente ação seja distribuída com urgência e prioridade, atendendo assim ao que determina o artigo 4º, parágrafo único, alínea c, do Estatuto da Criança e do Adolescente, segundo o qual a garantia de prioridade da criança e do adolescente compreende a precedência do atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública.
 
                            Nestes termos,
                            Espera deferimento.
 
                            Fortaleza, 15 de agosto de 2001.
 
 
Fulano de Tal
OAB/UF 000000
 
 
 

 
Importante:
1 - Conforme lei 9.610/98, que dispõe sobre direitos autorais, a reprodução parcial ou integral desta obra sem autorização prévia e expressa do autor constitui ofensa aos seus direitos autorais (art. 29). Em caso de interesse, use o link localizado na parte superior direita da página para entrar em contato com o autor do texto.
2 - Entretanto, de acordo com a lei 9.610/98, art. 46, não constitui ofensa aos direitos autorais a citação de passagens da obra para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor (Paulo Henrique) e a fonte www.jurisway.org.br.
3 - O JurisWay não interfere nas obras disponibilizadas pelos doutrinadores, razão pela qual refletem exclusivamente as opiniões, ideias e conceitos de seus autores.

Comentários e Opiniões

1) Youssif (23/08/2009 às 23:58:33) IP: 189.124.211.187
Meus cumprimentos pela natureza do artigo! A publicação da espécie é uma raridade, conquanto sabemos que a realidade não é tão rara assim... Abraços


Somente usuários cadastrados podem avaliar o conteúdo do JurisWay.

Para comentar este artigo, entre com seu e-mail e senha abaixo ou faço o cadastro no site.

Já sou cadastrado no JurisWay





Esqueceu login/senha?
Lembrete por e-mail

Não sou cadastrado no JurisWay




 
Copyright (c) 2006-2014. JurisWay - Todos os direitos reservados