JurisWay - Sistema Educacional Online
 
JurisWay - Servidor Público na Lei 8.112 com Certificado
 
Cursos
Certificados
Concursos
OAB
ENEM
Vídeos
Modelos
Perguntas
Notícias
Artigos
Fale Conosco
Mais...
 
Email
Senha
powered by
Google  
 
 Jurisprudências

Outras jurisprudências sobre
'Multa'

TRT/SP - MULTA DO ARTIGO 477, DA CLT - CONTROVÉRSIA QUANTO À RELAÇÃO DE EMPREGO.
15/03/2012

TST - ANTEPROJETO DE LEI - TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO - CRIAÇÃO DE CARGOS DE PROVIMENTO EFETIVO.
08/03/2012

TST - MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT. PAGAMENTO OPORTUNO DAS VERBAS RESCISÓRIAS. ATRASO NA ENTREGA DAS GUIAS DO SEGURO-DESEMPREGO E DOS DOCUMENTOS PARA SAQUE DO FGTS.
11/11/2011

TRT/SP - MULTA PELA AUSÊNCIA DE ANOTAÇÃO NA CTPS APÓS DETERMINAÇÃO JUDICIAL
04/10/2011

TRT/SP - Mandado de segurança. Autuação de empresa por manter trabalhadores sem registro. Atuação legal do auditor
19/08/2011

TRT/SP - MULTA - Cabimento e limites
19/08/2011

TRT/SP - MANDATO IRREGULAR. EXTINÇÃO DO PROCESSO. AUSÊNCIA DE PRAZO PARA SANAR DEFEITO. IMPOSSIBILIDADE. ART. 13 DO CPC.
04/08/2011

TRT/SP - Multa convencional. Atraso no pagamento de verbas rescisórias. Ausência de bis in idem. Limitação.
06/07/2011

Veja mais...

 

TST - MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT. PAGAMENTO OPORTUNO DAS VERBAS RESCISÓRIAS. ATRASO NA ENTREGA DAS GUIAS DO SEGURO-DESEMPREGO E DOS DOCUMENTOS PARA SAQUE DO FGTS.

Data da publicação da decisão - 11/11/2011.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

Processo: E-RR - 20000-71.2009.5.03.0139 Data de Julgamento: 03/11/2011, Relator Ministro: Augusto César Leite de Carvalho, Subseção I Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT 11/11/2011.

Fonte: http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroTeor.do?action=printInteiroTeor&format=html&highlight=true&numeroFormatado=E-RR - 20000-71.2009.5.03.0139&base=acordao&rowid=AAANGhABIAAADCsAAJ&dataPublicacao=11/11/2011&query=

 

 

A C Ó R D Ã O

(Ac. SDI-1)

GMACC/mcasco/afs

RECURSO DE EMBARGOS REGIDO PELA LEI 11.496/2007. MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT. PAGAMENTO OPORTUNO DAS VERBAS RESCISÓRIAS. ATRASO NA ENTREGA DAS GUIAS DO SEGURO-DESEMPREGO E DOS DOCUMENTOS PARA SAQUE DO FGTS.

O estabelecimento da multa do § 8º do art. 477 da CLT destina-se às hipóteses nas quais o empregador, injustificadamente, não paga, nos prazos estipulados no § 6º do mesmo dispositivo, as parcelas constantes do instrumento de rescisão contratual. A natureza penal da sanção imposta no § 8º impede a interpretação extensiva de seu preceito para os casos de atraso na entrega das guias do seguro-desemprego e dos documentos para saque do FGTS. Registrado no acórdão embargado o pagamento das parcelas rescisórias no prazo legal, incabível a imposição da penalidade. Precedentes. Recurso de embargos conhecido e provido.

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Embargos em Recurso de Revista n° TST-E-RR-20000-71.2009.5.03.0139, em que é Embargante BANCO BMG S.A. e são Embargadas xxxxxx e xxxxxx.

A 8ª Turma desta Corte, mediante acórdão às fls. 580/594, da lavra da Ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi, deu provimento ao recurso de revista da reclamante, para condenar a reclamada ao pagamento da multa prevista no artigo 477, § 8º, da CLT.

Inconformada, a reclamada interpõe recurso de embargos, sob as alegações aduzidas às fls. 596/598.

Impugnação não apresentada, conforme certificado à fl. 601.

Desnecessária a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho, a teor do disposto no art. 83, § 2º, II, do RITST.

É o relatório.

V O T O

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Atendidos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade do apelo, porquanto tempestivo (fls. 595 e 596), regular a representação (fl. 599) e efetuado o preparo (fl. 401), passo ao exame dos específicos do recurso de embargos, à luz da atual redação do art. 894 da CLT.

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT. ATRASO NA ENTREGA DA GUIA PARA LIBERAÇÃO DO SEGURO-DESEMPREGO E DOS DOCUMENTOS PARA SAQUE DO FGTS. PAGAMENTO OPORTUNO DAS VERBAS RESCISÓRIAS

Conhecimento

A Turma deu provimento ao recurso de revista da reclamante, para condenar a reclamada ao pagamento da multa prevista no artigo 477, § 8º, da CLT. Consignou os seguintes fundamentos:

-IV - MULTA DO ART. 477, § 8º, DA CLT - ENTREGA DOS DOCUMENTOS DE LIBERAÇÃO DO SEGURO-DESEMPREGO E FGTS FORA DO PRAZO

a) Conhecimento

Sobre o tema, o Eg. TRT assim se manifestou:

'MULTA DO ARTIGO 477, PARÁGRAFO 8º DA CLT

O fundamento que a recorrente apresenta para sustentar a pretensão de pagamento da multa em epígrafe é de atraso no acerto rescisório em razão da demora na entrega das guias CD/SD e TRCT. Assevera que a entrega efetiva de tal documentação somente teria ocorrido mais de 10 dias após a data legalmente prevista.

Sem razão.

Incontroverso o pagamento do valor correspondente às verbas rescisórias no prazo estipulado no art. 477 da CLT, a multa é indevida, pois o assegurado por lei é o pagamento dos valores devidos e não quanto à obrigação de fazer. Não se pode olvidar que as penalidades devem ser interpretadas restritivamente. Cumpre notar, inclusive, que o pedido inicial foi formulado não no sentido de atraso no pagamento das verbas rescisórias, mas em razão da entrega das guias acima apontadas.

Portanto, o pagamento ao reclamante das verbas rescisórias no prazo preconizado no parágrafo 6º do artigo 477 da CLT afasta a incidência da penalidade.

Nego provimento.' (fls. 471/471-verso)

A Recorrente pugna pela imposição de multa pelo atraso na entrega das guias de liberação do seguro-desemprego e do termo de rescisão do contrato de trabalho. Invoca o art. 477, §§ 6º e 8º, da CLT. Traz arestos.

O art. 477, § 6º, da CLT estipula os prazos para o 'pagamento das parcelas constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação (...)'.

A interpretação desse dispositivo, todavia, deve levar em conta o sentido da norma, e, não, sua literalidade.

Apesar de o art. 477 fazer referência apenas às parcelas constantes do TRCT, deve haver o pronto cumprimento de todas as obrigações rescisórias, inclusive a emissão das guias de liberação do seguro-desemprego e entrega dos documentos para saque do FGTS, sob pena de aplicação da multa prevista no § 8º do mesmo artigo. Nesse sentido:

'CERCEAMENTO DE DEFESA - HORAS EXTRAS - DANO MORAL - LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. O Recurso de Revista não comporta conhecimento, a teor do art. 896 da CLT. MULTA DO ART. 477, § 8º, DA CLT - ENTREGA DOS DOCUMENTOS DE LIBERAÇÃO DO FGTS FORA DO PRAZO. Apesar de o art. 477 da CLT fazer referência apenas às parcelas constantes do TRCT, deve haver o pronto cumprimento de todas as obrigações rescisórias, inclusive a entrega dos documentos para saque do FGTS, sob pena de aplicação da multa prevista no § 8º do mesmo dispositivo. Recurso de Revista parcialmente conhecido e provido.'(RR-180300-34.2008.5.01.0321, Rel. Min. Maria Cristina I. Peduzzi, 8ª Turma, DEJT 9/4/2010)

'RECURSO DE REVISTA - MULTA DO ART. 477, § 8º, DA CLT - ENTREGA DAS GUIAS DO SEGURO-DESEMPREGO E DOCUMENTOS DE LIBERAÇÃO DO FGTS FORA DO PRAZO. 1. A interpretação do art. 477, § 6º, da CLT, deve levar em conta o sentido da norma. 2. Dessa feita, apesar de o art. 477 da CLT fazer referência apenas às parcelas constantes do TRCT, deve haver o pronto cumprimento de todas as obrigações rescisórias, inclusive a emissão das guias de liberação do seguro-desemprego e entrega dos documentos para saque do FGTS, sob pena de aplicação da multa prevista no artigo 477, § 8º, da CLT. (...) Recurso de Revista não conhecido.' (RR-533/2002-019-05-00.9, 8ª Turma, Rel. Min. Maria Cristina I. Peduzzi, DJ de 17/4/2009)

'AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ATRASO NA HOMOLOGAÇÃO RESCISÓRIA EMBORA COM DEPÓSITO PECUNIÁRIO FEITO NO PRAZO LEGAL. APLICAÇÃO DA MULTA DO § 8º DO ART. 477 DA CLT. Demonstrado no agravo de instrumento que o recurso de revista preenchia os requisitos do art. 896 da CLT, quanto ao tema relativo à multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias, por violação, em tese, do § 6º do art. 477 da CLT, merece provimento. Agravo de instrumento provido.

RECURSO DE REVISTA. ATRASO NA HOMOLOGAÇÃO RESCISÓRIA. DEPÓSITO FEITO NO PRAZO LEGAL. APLICAÇÃO DA MULTA DO § 8º DO ART. 477 DA CLT. O pagamento rescisório, regulado pelo art. 477 da CLT, é ato jurídico complexo, envolvendo também a 'baixa' na CTPS, a expedição de documentos tanto para saque do FGTS com 40% como para habilitação ao seguro-desemprego, a par da assistência homologatória em contratos com prazo superior a um ano. Nessa linha, o simples depósito dos valores pecuniários na conta corrente do empregado não supre a integralidade do pagamento rescisório, em face do não cumprimento tempestivo das distintas obrigações de fazer imperativas aplicáveis. A isenção da multa legal correspondente apenas ocorre se, 'comprovadamente, o trabalhador der causa à mora' (art. 477, § 8º, in fine, da CLT) ou se, por eqüidade, seja manifestamente irrisório o atraso na homologação e entrega dos documentos da rescisão. Recurso de revista provido.' (RR-619/2002-012-05-40.1, Rel. Min. Mauricio Godinho Delgado, julgado em 18/6/2008, 6ª Turma, publicado em 1º/8/2008)

'RECURSO DE REVISTA. MULTA DO ARTIGO 477, § 8º DA CLT. HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO CONTRATUAL. ATRASO. Ocorrendo atraso na homologação do acerto rescisório, é devido o pagamento da multa prevista no § 8º do art. 477 da CLT, mesmo que o empregador tenha efetuado o pagamento das verbas decorrentes da ruptura contratual dentro do prazo previsto no § 6o. do citado dispositivo legal. Isso porque o pagamento rescisório é ato complexo, envolvendo a anotação da saída na CTPS, a expedição do documento para saque do seguro-desemprego e do FGTS + 40%, a par da assistência homologatória (em casos de contratos superiores a um ano), obrigações de fazer cujo retardo produz evidente prejuízo ao credor e afronta à regra celetista. Apenas se o atraso na homologação e liberação dos documentos for irrelevante (curto período) é que se poderia, por eqüidade, falar na não-incidência da multa; sendo significativo o retardo, porém (caso dos autos, mais de 30 dias), não há como se eliminar a penalidade legal.

Recurso de revista conhecido por divergência jurisprudencial e desprovido no mérito.' (RR-502/2007-087-03-00.1, Rel. Min. Aloysio Corrêa da Veiga, julgado em 4/2/2009, 6ª Turma, publicado em 6/3/2009)

Compulsando os autos, verifica-se ser incontroversa a ocorrência de atraso na entrega dos documentos em questão.

Entendo que o prazo do art. 477, § 6º, da CLT é bastante razoável e que o cumprimento das obrigações rescisórias após o seu transcurso dá ensejo à penalidade prevista no § 8º do mesmo dispositivo.

Conheço, por violação ao art. 477, § 8º, da CLT.

b) Mérito

Consectário do conhecimento do apelo por violação a dispositivo legal é o seu provimento.

Dou provimento ao recurso para acrescer à condenação a multa do art. 477, § 8º, da CLT.-

Alega o embargante que o art. 477 da CLT tem interpretação estrita, não autorizando a aplicação da multa no caso de atraso na entrega dos documentos relativos ao seguro-desemprego e ao FGTS. Traz arestos a cotejo.

Os arestos transcritos à fl. 597, oriundos da 2ª e 3ª Turmas, autorizam o conhecimento do apelo, na medida em que defendem tese, no sentido de ser indevida a aplicação da multa prevista no § 8º do art. 477 da CLT no caso de atraso na entrega das guias do seguro-desemprego, desde que efetuado o pagamento das verbas rescisórias no prazo previsto no § 6º desse mesmo dispositivo.

Conheço por divergência jurisprudencial com os paradigmas transcritos à fl. 597.

Mérito

Razão assiste ao embargante.

Os §§ 6º e 8º do art. 477 da CLT assim dispõem, respectivamente:

-§ 6º O pagamento das parcelas constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação deverá ser efetuado nos seguintes prazos:

a) até o primeiro dia útil imediato ao término do contrato; ou

b) até o décimo dia, contado da data de notificação da demissão, quando da ausência do aviso prévio, indenização do mesmo ou dispensa do seu cumprimento.

(...)

§ 8º A inobservância do disposto no § 6º deste artigo sujeitará o infrator à multa de 160 BTN, por trabalhador, bem assim ao pagamento da multa a favor do empregado, em valor equivalente ao seu salário, devidamente corrigido pelo índice de variação do BTN, salvo quando, comprovadamente, o trabalhador der causa à mora.-

Da leitura dos dispositivos legais supratranscritos, verifica-se que o estabelecimento da multa destina-se às hipóteses nas quais o empregador, injustificadamente, não paga, nos prazos estipulados no § 6º, as parcelas constantes do instrumento de rescisão contratual. Considerando, pois, a premissa fática revelada no acórdão embargado, de que o pagamento das verbas rescisórias ocorreu no prazo legal, tem-se que não é devida a aplicação da mencionada multa em razão de atraso na entrega das guias do seguro-desemprego e dos documentos para saque do FGTS.

A natureza penal da sanção imposta no § 8º do artigo em comento impede a interpretação extensiva de seu preceito, salvo em hipóteses de pagamento fraudulento, mas esse não é o caso dos autos.

Injustificada, portanto, a imposição da multa do § 8º do art. 477 da CLT.

Nesse sentido, destaco precedentes desta Corte:

-EMBARGOS - SUJEITOS À SISTEMÁTICA DA LEI Nº 11.496/2007 - MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT - PAGAMENTO OPORTUNO DAS VERBAS RESCISÓRIAS - HOMOLOGAÇÃO TARDIA . Evidenciado o pagamento das verbas rescisórias no prazo do art. 477, § 6º, da CLT, indevida é a aplicação da multa do § 8º, ainda que a homologação da rescisão tenha ocorrido a destempo. Precedentes. (Processo: E-RR-150500-16.2008.5.03.0026, Relatora Ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi, SBDI-1, DEJT 12/11/2010.)

-(...)MULTA DO § 8º DO ARTIGO 477 DA CLT. PAGAMENTO DA RESCISÃO NO PRAZO. ATRASO NA HOMOLOGAÇÃO E NO FORNECIMENTO DAS GUIAS CD/SD. PROVIMENTO. O artigo 477, § 6º, da CLT trata apenas dos prazos para o pagamento das verbas da rescisão do contrato de trabalho. O fato gerador da multa de que trata o § 8º do art. 477 da CLT é o retardamento na quitação das verbas rescisórias. Se a reclamada, ao efetuar o pagamento da rescisão, observou os prazos previstos na lei, não incide a penalidade prevista no art. 477, § 8º, da CLT. Recurso de Revista conhecido e provido.- (Processo: RR-67400-87.2009.5.03.0137, Relator Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, 6ª Turma, DEJT 28/1/2011.)

-RECURSO DE REVISTA. MULTA DO ARTIGO 477, § 8º, DA CLT. NÃO FORNECIMENTO DAS GUIAS DE TRCT E DO SEGURO DESEMPREGO. PROVIMENTO. 1. O não-fornecimento pelo empregador das guias de TRCT e do seguro desemprego no prazo estipulado no artigo 477, § 6º, da CLT, não enseja o pagamento da penalidade prevista no § 8º do mesmo artigo consolidado. Precedentes desta Corte Superior. 2. Recurso de revista de que se conhece e se dá provimento.- (Processo: RR- 1340-87.2009.5.03.0055, Relator Ministro Guilherme Augusto Caputo Bastos, 2ª Turma, DEJT 26/11/2010.)

-I -RECURSO DE REVISTA DOS RECLAMADOS. (-) 3. MULTA DO ART. 477, § 8º, DA CLT. Conforme inteligência do art. 477 da CLT, o fato gerador da multa prevista no § 8º está vinculado, exclusivamente, ao descumprimento dos prazos especificados no § 6º do mesmo artigo, e não ao atraso da homologação da rescisão e/ou entrega das guias. Recursos de revista conhecidos e providos. 4. MULTA CONVENCIONAL. O Regional decidiu com base nos elementos instrutórios dos autos, curvando-se ao entendimento da Súmula 384, I/TST. Assim, o recurso encontra óbice na inteligência do art. 896, § 4º, da CLT. Recursos de revista não conhecidos. II (-).- (Processo: RR-162200-22.2008.5.03.0015, Relator Ministro Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, 3ª Turma, DEJT 13/8/2010.)

-MULTA DO § 8º DO ARTIGO 477 DA CLT. PAGAMENTO DA RESCISÃO NO PRAZO. ATRASO NA HOMOLOGAÇÃO E NA LIBERAÇÃO DA GUIA PARA SAQUE DO FGTS E GUIAS DO SEGURO-DESEMPREGO. O artigo 477, § 6º, da CLT trata apenas dos prazos para o pagamento das verbas da rescisão do contrato de trabalho. Tem-se que o fato gerador da multa de que trata o § 8º do art. 477 da CLT é o retardamento na quitação das verbas rescisórias. Se a reclamada, ao efetuar o pagamento da rescisão, observou os prazos previstos na lei, não incide a penalidade prevista no art. 477, § 8º, da CLT. Recurso de Revista conhecido e provido.- (Processo: RR-1949/2006-223-01-40.0, Relator Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, 6ª Turma, DEJT 13/11/2009.)

Em face do exposto, dou provimento aos embargos para, restabelecendo a decisão regional, excluir da condenação a multa prevista no art. 477, § 8º, da CLT.

ISTO POSTO

ACORDAM os Ministros da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais do Tribunal Superior do Trabalho, por unanimidade, conhecer dos embargos, por divergência jurisprudencial, e, no mérito, dar-lhes provimento para, restabelecendo a decisão regional, excluir da condenação a multa prevista no art. 477, § 8º, da CLT.

Brasília, 3 de Novembro de 2011.

Firmado por Assinatura Eletrônica (Lei nº 11.419/2006)

AUGUSTO CÉSAR LEITE DE CARVALHO

Ministro Relator


fls.

PROCESSO Nº TST-RR-20000-71.2009.5.03.0139 - FASE ATUAL: E



Firmado por assinatura eletrônica em 04/11/2011 pelo Sistema de Informações Judiciárias do Tribunal Superior do Trabalho, nos termos da Lei nº 11.419/2006.

Importante:
1 - Todas as informações podem ser citadas na íntegra ou parcialmente, desde que seja citada a fonte, no caso o site www.jurisway.org.br.

indique está página a um amigo Indique aos amigos

 
Copyright (c) 2006-2017. JurisWay - Todos os direitos reservados